Ir direto ao conteúdo

‘Rasga coração’: uma peça sobre política. E seus bastidores


O ‘Nexo’ publica trecho da última obra teatral do dramaturgo Oduvaldo Vianna Filho, de 1974, que foi censurada pelo regime militar na época de sua publicação. A peça rememora diversas lutas políticas na história do Brasil, como a Revolta da Vacina e a resistência à ditadura. A nova edição inclui também um volume dedicado aos bastidores da criação de Vianinha, como era conhecido, com a reunião de sua pesquisa nos arquivos da Biblioteca Nacional para escrever a peça

TRECHO 2 – CENA 9, EXCERTO

 

Luca (Silêncio) ... Vestibular é uma palavra engraçada... ela não diz o que é a coisa... vocês não têm cuidados com as palavras...

Manguari ... Que foi, Luca?

Nena ... Não está contente, filho?

Camargo Moço ... Vamos vingar essa, amigo?

Luca (Silêncio) Ih, pai... ih, Custódio... você vai ficar muito zangado... (Para)

Manguari ... Que foi Luca?

Luca (Longo silêncio)... Ih, não vou fazer vestibular não... não vou para o colégio de Frei...

Manguari ... O que é? Por quê? Mas o que é isso?

Nena ... Não fala assim, filho...

Luca ... Mas não vou mesmo, desculpe Custódio, mas não vou...

Manguari ... Você vai sim, Luca! Você vai sim senhor!

Luca ... Não vou pai, não adianta...

Manguari Você está ficando maluco? Está brincando comigo? Você vai continuar dando esse es­petáculo de enfarado da civilização?

Luca ... mas vou continuar dando esse espetáculo, sim! É só isso que eu quero aprender, não tenho nada pra aprender nas universidades de vocês, nada! Mas nada! Vocês lá, ensi­nam essa vida que está morta, essa vida de esmagar a natureza, de super-homens neuróticos, lá vocês querem dominar a vida, eu quero que a vida me domine, vocês que­rem ter o orgulho de saber tudo, eu quero a humildade de não saber, quero que a vida aconteça em mim... não é revolução políti­ca, é revolução de tudo, é outro ser! Como os cristãos... é como foi...

Manguari ... Está certo, Luís Carlos, está certo, eu não discuto mais! Você faz como quiser, faz como decidir, tem todo o meu respeito, mas agora é fora da minha casa, menino, entendeu?

(Luz acende sobre 666)

666 ... Fora da minha casa com a michela!

Manguari ... Aqui você não fica mais, não pago mais trigo sarraceno, não pago roupa, pasta de dente, não sou pensão!...

Luca ... Puxa, pai, que é isso?

Manguari ... É isso, é isso, é isso...

Luca Não tenho pra onde ir, pai, vou pra onde?

666 ... Vai nos churrascos cívicos, come nos churrascos cívicos!

Nena ... Por favor... Custo!...

Manguari Cala a boca, Nena, não sei como você vai viver, não é em comunidade que vocês vi­vem, então?

Nena Custo, Custo, por...

Manguari ... Não posso mais, não posso mais viver com uma pessoa que me olha como se eu estivesse morto! Como se todas as pessoas que estão aí fora gemendo no mundo fos­sem a mesma coisa! Como se não houves­se dois lados! E eu sempre estive ao lado dos que têm sede de justiça, menino! Eu sou um revolucionário, entendeu? Só por­que uso terno e gravata e ando no ônibus 415 não posso ser revolucionário? Sou um homem comum, isso é outra coisa, mas até hoje ferve meu sangue quando vejo do ôni­bus as crianças na favela, no meio do lixo, como porcos, até hoje choro, choro quan­do vejo cinco operários sentados na calça­da, comendo marmitas frias, choro quando vejo vigia de obras aos domingos, sentado, rádio de pilha no ouvido, a imensa solidão dessa gente, a imensa injustiça. Revolução sou eu! Revolução pra mim já foi uma coisa pirotécnica, agora é todo dia, lá no mundo, ardendo, usando as palavras, os gestos, os costumes, a esperança desse mundo, você não é o revolucionário, menino, sou eu, você, no meu tempo, chamava-se Lor­de Bundinha que nunca negou que era um fugitivo, você é um covardezinho que quer fazer do medo de viver um espetáculo de coragem!

Luca Você é que pensa que é revolucionário, é a doce imagem que você faz de você, pai, mas você é um funcionário público, você trabalha para o governo! Para o governo! Anda de ônibus 415 com dinheiro trocado para não brigar com o cobrador e que de noite fica na janela, vendo uma senhora de peruca tirar a roupa e ficar nua!

(Manguari dá um tapa na cara de Luca, avança para ele, Nena se interpõe, ficam embolados)

Nena Custo, meu Deus do Céu, Custo, pelo amor de Deus...

(Luz reabre sobre 666 e Lorde Bundinha enquanto prosse­gue o entrevero)

666 Fora! Fora da minha casa com a michela!

Lorde Bundinha ... Você disse pra ele que agora fabricamos penicos e mesmo assim ele te mandou em­bora? Que falta de compreensão...

Manguari (Desiste do corpo a corpo) ... Está bem, Nena, vamos embora, Nena. Vamos embora. (Sai. Nena fica um pouco atrás. Ficam só Camargo Moço e Luca. Tempo de silêncio)

Camargo Moço ... Ih, amigo, ih... se eu soubesse que ia acontecer isso, eu nem vinha aqui... pô, des­culpe... acho que devia ter falado com você linha direta...

Luca (Ainda está muito abalado, mas mantém-se) ... não tem problema, amigo, sem proble­ma... sabe como é que chamavam os cris­tãos no Império Romano? “Gente esquisita e intratável... os bárbaros do interior do Império... ” hoje todo mundo se benze... eu sei que é isso que eu vou enfrentar... meu pai tem que descarregar em alguém ele ter vivido sem ter deixado marca de sua presença...

Camargo Moço Ô Luca, ô Luca, não é isso não, teu pai não deixou marca? Mas cada vez que começa uma assembleia num sindicato, a luz baça, teu pai está lá, cada vez que um operário, chapéu na mão, entra na Justiça do Traba­lho, teu pai está lá, cada vez que, em vez de dizer países essencialmente agrícolas, dizem países subdesenvolvidos, teu pai está lá, cada vez que dizem imperialismo, em vez de países altamente industrializa­dos, teu pai está lá, cada vez que fecham um barril de petróleo na Bahia, teu pai está lá... teu pai é um revolucionário, sim...

 

RASGA CORAÇÃO E DOSSIÊ DE PESQUISA

Oduvaldo Vianna FilhoOrganização Maria Sílvia BettiEditora Temporal184 páginas (Rasga coração) e 316 páginas (Dossiê de pesquisa)Lançamento em outubro de 2018

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!