Foto: Amanda Neri/Divulgação

A escritora Miriam Alves indica livros de autores negros cujas produções dialogam com a sua trajetória na literatura

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Uma das paixões da minha vida é escrever, atividade que acredito ter sido alimentada pelo meu hábito de leitura – outra de minhas paixões. Ao receber o convite do Nexo, decidi por cinco das minhas leituras mais recentes que corroboram para a reflexão de aspectos importantes do tipo de literatura que faço enquanto autora negra brasileira.

Deus ajude essa criança

Toni Morrison (Trad. José Rubens Siqueira, Companhia das Letras, 2018)

Este romance de Toni Morrison, premiada autora americana, narra a história de uma criança negra que nasce com um tom de pele mais escuro que o de seus pais. Isso faz com que a protagonista seja rejeitada pelo pai e tratada com rispidez pela mãe. Ainda que conte a história de uma só personagem, “Deus ajude essa criança” traz as agruras e os perigos de ser uma criança negra em qualquer sociedade.

As almas do povo negro

W.E.B. Du Bois (Trad. Alexandre Boide, Veneta, 2021)

Du Bois, líder político negro e estudioso da sociedade americana, debate a condição dos afro-americanos em “As almas do povo negro”. A leitura desse livro me levou a traçar paralelos entre as condições raciais no Brasil e nos Estados Unidos e as limitações impostas pelo racismo nessas duas sociedades de histórico escravocrata.

Literatura negro-brasileira

Cuti (Selo Negro, 2010)

Cuti é o pseudônimo de Luiz Silva, intelectual brasileiro e um dos precursores do movimento da literatura negra contemporânea no país. Em “Literatura negro-brasileira", Cuti afirma que, ao utilizar a palavra como forma de resistência, escritoras e escritores negros criaram uma produção diferenciada, baseada no resgate da dignidade de seu povo, colocando em xeque, entre outras coisas, a formação do cânone literário brasileiro. É um livro fundamental, que fornece elementos importantes para a reflexão e compreensão de como se formou o cabedal de ideias da literatura negra nacional.

Intelectuais negras: prosa negro-brasileira contemporânea

Mirian Cristina dos Santos (Malê, 2018)

A partir da análise de obras de três escritoras negras brasileiras, Mirian Cristina dos Santos aborda o racismo e o sexismo presentes nessas tramas e na sociedade A leitura desse livro me fez refletir sobre como a literatura negra suscita diferentes interpretações sobre as relações raciais e sociais brasileiras, influenciando na criação de paradigmas que auxiliem no combate ao pensamento neocolonialista.

Silêncio prescrito: Estudo de romances de autoras negras brasileiras

Fernanda R. Miranda (Malê, 2019)

Em “Silêncios prescritos”, Miranda trabalha com a ideia de que a literatura negra brasileira produz uma crítica às estruturas canônicas. Ao analisar romances de autoras negras, a acadêmica percorre interpretações da história e da cultura do paíss. A leitura desse livro me fez resgatar escritores e escritoras invisibilizados pelo preconceito e pelo racismo literário.

Miriam Alves nasceu em São Paulo, em 1952. Figura de destaque no panorama da literatura afro-brasileira, integrou o histórico coletivo Quilombhoje Literatura. É autora dos livros de poemas “Momentos de busca” (1983) e “Estrelas no dedo” (1985); dos romances “Bará: na trilha do vento” (2015) e “Maréia” (2019); e das coletâneas de contos “Mulher mat(r)iz” (2011) e “Juntar pedaços” (2021). Além de escritora, é assistente social e professora.

*Caso você compre algum livro usando links dentro de conteúdos do Nexo, é provável que recebamos uma comissão. Isso ajuda a financiar nosso jornalismo. Por favor, considere também assinar o Nexo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.