O senador Paulo Paim estreia em 28 de março como novo colunista do ‘Nexo’, no espaço de opinião ‘Tribuna’. Ele indica cinco livros em diferentes formatos — ensaio, romance e poesia — que suscitam discussões sobre problemas sociais e propõem formas de resistência

A classe média no espelho

Jessé Souza (Estação Brasil, 2018)

Um panorama histórico inédito. Você vai conhecer “as origens dos seus valores morais e desvendar os mecanismos de poder invisíveis que há tempo manipulam a classe média e mantêm sua docilidade frente à sua exploração pela elite”.

Utopia para realistas

Rutger Bregman (Trad. Leila Cordeiro, Sextante, 2018)

Como construir um mundo melhor, eis a indagação do autor. “Vivemos uma época de agitação social sem precedentes, com questionamentos sobre a sociedade, o trabalho, a felicidade, e ainda assim nenhum partido político de direita ou de esquerda nos oferece respostas”.

Modernidade líquida

Zygmunt Bauman (Trad. Plinio Augusto de Souza Dentzien, Zahar, 2001)

O ritmo incessante das transformações gera angústias e incertezas e dá lugar a uma nova lógica, pautada pelo individualismo e pelo consumo. As pessoas se tornam intolerantes ao extremo. Por isso, o homem público precisa utilizar ao máximo sua capacidade de conciliação.

Germinal

Émile Zola (Trad. Mauro Pinheiro, Estação Liberdade, 2012)

Romance que tem como cenário a região norte da França no século 19. Trabalhadores da extração de carvão entram em greve devido à redução de salários e demandam melhores condições de trabalho e de vida.

Canto geral

Pablo Neruda (Trad. Paulo Mendes Campos, Bertrand Brasil, 2010)

A história e a resistência da América Latina pelos versos do poeta chileno. “Amazonas, capital das sílabas da água, pai patriarca, és a eternidade secreta das fecundações. Os grandes troncos mortos te povoam de perfume”.

Paulo Paim está no terceiro mandato como senador, eleito pelo PT do Rio Grande do Sul. Atua na defesa dos direitos sociais e trabalhistas e é presidente da Comissão de Direitos Humanos. Autor das leis dos Estatutos do Idoso, da Pessoa com Deficiência e da Igualdade Racial, e relator do Estatuto da Juventude. Foi deputado federal constituinte em 1988.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: