Ir direto ao conteúdo

Foto: Arquivo pessoal

O artista e designer gráfico David Galasse indica 5 livros para entender o trabalho e as publicações de artistas e editoras independentes no Brasil

O cenário brasileiro de publicações independentes é vibrante. Se você já foi a feiras como a Plana, Tijuana, Miolo ou a Printa-Feira, com certeza ficou fascinado com a produção de editoras e artistas participantes (e provavelmente gastou um pouco mais do que estava em seus planos). Mas você sabe como esses produtores viabilizam seus impressos, como livros, zines e cartazes?

Entre as alternativas está a cultuada Risograph, ou simplesmente Riso, impressora de origem japonesa, criada nos anos 80 para viabilizar impressões de baixo custo em alto volume. Essa impressora é rápida, e produz imagens que se confundem facilmente com as feitas em processos mais artesanais, como a serigrafia. O glamour fica por conta das suas inconfundíveis cores vibrantes, e aquele leve erro de registro (e cá entre nós, a gente torce para acontecer).

A crescente predileção de artistas e editoras independentes por esse tipo de impressão criou ao longo dos anos uma enorme comunidade em torno das oficinas de impressão, como a Meli-Melo, Risotrip ou Riso Tropical.

Empenas

Andrés Sandoval

Na paisagem do centro de São Paulo, há um elemento arquitetônico recorrente chamado empena cega, a fachada lisa e sem aberturas de um edifício. Sua presença está ligada à legislação de uso e ocupação do solo e à construção de grandes estruturas viárias implementadas a partir da década de 1960. Em 2007, com a vigência da lei Cidade Limpa, que proibiu a colocação de anúncios publicitários nas fachadas dos imóveis, esse elemento tornou-se ainda mais evidente. Ganhador do Proac Livro de Artista em 2013, essa obra do artista gráfico e arquiteto paulistano Andrés Sandoval usa o desenho para estudar as empenas cegas presentes na paisagem vista ao longo dos 2,8 quilômetros do Elevado João Goulart, destacando seus aspectos espaciais, cromáticos e morfológicos. Impresso em quatro cores especiais (dourado, amarelo, azul e laranja) sobre papel Filtro.

Coleção É bom para o moral

 Zé Otávio

A editora Bebel Books tem em seu catálogo publicações irreverentes e muito criativas, como por exemplo o Suruba para Colorir, com participação de Laerte. Para o selo Bebel Buxxx, de conteúdo erótico, o artista Zé Otávio desenhou três edições que formam a coleção É Bom para o Moral.

Charivari 10

Charivari

Charivari é um coletivo de artistas do Brasil que reúne nomes como Daniel Bueno, Fabio Zimbres, Fernando Almeida, Fernando Vilela, José Silveira, Laura Teixeira, Luana Geiger, Madalena Elek, Marcelo Salum, Bel Falleiros, Mariana Zanetti, Andrés Sandoval e Silvia Amstalden. A formação recente conta com dez integrantes, dentre eles Carol Grespan, Marilia Scharlach e Maroca Sampaio. Charivari 10 teve como modelo um papel com duas linhas desenhadas em cada lado, cabendo aos artistas criar desenhos que levassem em consideração as linhas; depois o papel foi dobrado de acordo com o método de fazer zines do artista plástico e quadrinista Fabio Zimbres, gerando livrinhos com 16 páginas. Cada pacotinho traz 8 livros impressos em Risograph pela Meli-Melo Press.

Eco Simulation

Filipi Filippo

Artista e designer gráfico de Porto Alegre, Filipi Filippo usa suas publicações como suporte para seu estudo no campo da pintura abstrata e não objetiva. Seus desenhos vibrantes, rápidos e gestuais geram composições ricas e densas,  que se aproximam de uma manifestação orgânica, como plantas ou folhagens. Em “Eco Simulation”, Filippo vai fundo em sua pesquisa sobre as relações entre o orgânico e o geométrico. Ao longo de suas páginas pretas, esses dois universos vão se inundando e se complementando. Chama a atenção a beleza do livro, impresso em cores metálicas.

 

Zonas Cromáticas

Demian Jacob e Risotrip

Uma parceria entre Demian Jacob e Risotrip, é um fotolivro de 54 páginas coloridas impressas em preto, rosa fluorescente, amarelo, verde, vermelho vivo e azul. Esta é uma publicação que explora as possibilidades da impressão de fotografias em risograph, sendo reproduzidas em uma cor, duotones, tricomias e quatro cores ao longo do livro. As fotos de Demian, com suas cores vibrantes e grão aparente, são um casamento perfeito entre a fotografia analógica e a risografia.

 

David Galasse é um artista e designer gráfico paulistano. É integrante do coletivo Pardo, que usa a pintura e a autopublicação como suportes para estudar a área contaminada entre o design e a arte contemporânea. Seu primeiro livro, “Finja que está Saindo para o Almoço e Nunca Mais Volte”, foi impresso em Risograph pela Meli-Melo Press, e pode ser encontrado na Casa Plana.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: