Ir direto ao conteúdo

Foto: Natan Aquino/Grupo Afreaka

Amilcar Araujo Pereira é professor de história da UFRJ e indica 5 livros para entender o movimento negro no Brasil

Concordando com Joel Rufino dos Santos, que dizia em um artigo publicado em 1985 que “movimento negro é, antes de mais nada, aquilo que seus protagonistas dizem que é movimento negro”, sugiro os seguintes livros como leituras fundamentais para se conhecer o movimento social negro brasileiro:

E disse o velho militante José Correia Leite: depoimentos e artigos

Cuti (organizador) 

O livro abarca boa parte da história do movimento negro em São Paulo na primeira metade do século 20, a partir de depoimentos do velho militante, liderança histórica do movimento, José Correia Leite, gravados e editados por Cuti, poeta e militante negro, no início da década de 1980. O livro traz ainda uma série de artigos, recortes de jornais, imagens e outros documentos que o tornam uma leitura fundamental para se conhecer aspectos da história do movimento negro brasileiro no início do século 20.

Trajetória e Perspectivas do Movimento Negro Brasileiro 

Amauri Mendes Pereira

Outro livro resultante de reflexões de um militante, também uma liderança no movimento negro entre as décadas de 1970 e 1990, sobre a própria trajetória de lutas contra o racismo no Brasil, este nasceu como uma monografia de um curso de especialização em história e cultura afro-brasileira ainda no final da década de 1990. Publicado em 2008, além de aspectos da história do movimento negro em períodos anteriores, o livro, em sua parte final, traz um diálogo do autor com os desafios colocados ao movimento naquele momento histórico, quando já se havia criado no âmbito do governo federal o primeiro ministério, comandado por militantes negros, voltado para a criação de políticas de promoção da igualdade racial em nosso país.

Histórias do movimento negro no Brasil: depoimentos ao CPDOC

Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (Organizadores)        

Uma espécie de documentário escrito sobre a constituição do movimento negro no Brasil a partir da década de 1970, organizado a partir de uma edição temática de trechos de 38 entrevistas de história oral feitas com lideranças negras de todas as regiões do Brasil, este livro é resultado de uma pesquisa desenvolvida pelos organizadores entre 2003 e 2007 no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas.  

Orfeu e o Poder: o movimento negro no Rio de Janeiro e São Paulo (1945-1988)

Michael Hanchard

Originalmente escrito como tese de doutorado em ciência política na Universidade Princeton, nos EUA, neste livro Hanchard apresenta análises acuradas sobre o movimento negro brasileiro contemporâneo, baseadas em extensa pesquisa, especialmente em 60 entrevistas realizadas com lideranças negras do Rio e de São Paulo e na sua observação-participante em vários eventos promovidos pelo movimento negro entre 1988 e 1989.

Becoming Black Political Subjects: Movements and Ethno-Racial Rights in Colombia and Brazil

Tianna Paschel

Também escrito a partir de uma tese de doutorado em sociologia defendida na Universidade da California em Berkeley, nos EUA, este livro já foi premiado por várias associações acadêmicas americanas. Tianna Paschel procurou entender, adotando uma perspectiva transnacional, como o movimento negro, um movimento social que tinha enormes dificuldades em termos de recursos e de apoio político, conseguiu tornar-se sujeito político diante do Estado, tanto no Brasil como na Colômbia, tendo inclusive algumas de suas demandas históricas atendidas pelo poder estabelecido a partir do final da década de 1980 e início dos anos 1990 nos dois países.

Amilcar Araujo Pereira é doutor em História pela Universidade Federal Fluminense, fez pós-doutorado na Columbia University, em Nova Iorque, nos EUA, e é professor da Faculdade de Educação, dos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Ensino de História, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. É autor do livro "O mundo negro: relações raciais e a constituição do movimento negro no Brasil” (Pallas/Faperj, 2013).

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!