Foto: Ninil Gonçalves

Hoje, a convidada da série "Favoritos" é a escritora, professora e crítica literária, Noemi Jaffe. Conheça 5 de seus livros preferidos

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

José e seus irmãos

Thomas Mann

A reação de Jacob, nesse livro, ao pensar que seu filho José está morto, me fez repensar minha já problemática relação com Deus, permitindo que eu o aceitasse melhor. Jacob não tem vergonha de sentir raiva de Deus e diz que estar além da raiva é atribuição divina e nós, raivosos, somos meramente humanos.

 

Grande Sertão Veredas

Guimarães Rosa

Esse livro, para mim, foi uma revelação do que é possível fazer com a literatura. Como a linguagem literária, com suas subversões, é capaz de alterar nossa visão de mundo e nossa compreensão sobre pessoas que nunca vimos ou que mal conhecemos. É a magnitude da linguagem arejando a vida, transformando o sertão mineiro em transcendência de alcance universal.

 

O Teatro de Sabbath

Philip Roth

Drenka, uma das protagonistas de "O teatro de Sabath" é, na minha opinião, uma das grandes personagens femininas da literatura mundial. Direta, sem deixar de ser complexa; erótica ao extremo, sem ser passiva nem tratada como mulher-objeto; forte, sem deixar de ser fraca e feminista "avant la lettre", determinando seus caminhos e também os dos outros.

 

É isto um homem

Primo Levi

Como tenho relações de parentesco com a Segunda Guerra Mundial, este livro representa o relato mais bem acabado do cotidiano do campo de concentração, sem autocomiseração nem sentimentalismo. Basta as coisas terem sido como foram e a capacidade de contá-las, para que possamos, minimamente, sentir algo do que os prisioneiros sentiram, assim ampliando a possibilidade de nos colocarmos no lugar do outro.

 

Libertinagem

Manuel Bandeira

A obra de Manuel Bandeira me mostrou como é possível escrever poesia com quase nada. "A poesia está no amor como nos chinelos" é a revelação do mundo das coisas pequenas e a afirmação de como elas são importantes para a vida e para a literatura. Este livro, em especial, contém uma mistura de melancolia e erotismo que, na minha opinião, provocam uma combustão na linguagem poética.

 

 

Noemi Jaffe é escritora, professora e crítica literária. Mantém o blog literário Quando Nada está Acontecendo. Escreveu, entre outros, os livros "A Verdadeira História do Alfabeto", "Írisz: as Orquídeas", ambos pela Cia. das Letras, e "O que os Cegos Estão Sonhando?" (Ed. 34), que será editado também nos Estados Unidos, pela Deep Vellum, em 2016.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.