‘Ataque ao site do Ministério da Saúde pode ser muito severo’

Advogada especializada em direito digital fala ao ‘Nexo’ sobre a sensibilidade das informações armazenadas digitalmente pela pasta e sobre o cenário da segurança digital na administração pública brasileira

    Um ataque de hackers tirou do ar na madrugada desta sexta-feira (10) o site do Ministério da Saúde e a página do ConecteSUS, serviço que registra toda a trajetória de quem busca atendimento no SUS (Sistema Único de Saúde), impedindo o acesso ao Certificado Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Os invasores deixaram mensagens nas páginas afirmando se tratar de um ataque de “ransomware” e que haviam copiado e excluído “50 TB [terabyte] de dados”.

    O ransomware é uma espécie de sequestro de dados: nele, um software malicioso (malware) bloqueia o acesso do usuário, exigindo um resgate, que é feito por meio de um pagamento online anônimo. No site do ministério, os invasores também deixaram um contato do aplicativo de mensagens Telegram e um endereço de e-mail para o resgate.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.