‘Senso de urgência na COP26 poderia ter sido maior’

Ex-presidente do Ibama e especialista em políticas públicas do Observatório do Clima, Suely Araújo fala ao ‘Nexo’ sobre os resultados da conferência em Glasgow, na Escócia

Apesar dos avanços em ter definido, depois de seis anos, as regras do Acordo de Paris, a COP26, conferência do clima da ONU que terminou no sábado (13) em Glasgow, na Escócia, decepcionou ao não anunciar medidas ambiciosas o bastante para combater as mudanças climáticas, disse ao Nexo a ambientalista Suely Araújo.

Ex-presidente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e especialista sênior em políticas públicas do Observatório do Clima, Araújo afirmou que “faltou senso de urgência” para tratar do problema, cujos efeitos têm sido cada vez mais evidentes no mundo todo.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.