‘A ultradireita cooptou o debate sobre ativismo judicial’

O ‘Nexo’ conversou com Emílio Meyer, professor de direito constitucional da UFMG, sobre a relação de movimentos populistas autoritários com cortes supremas, e como isso acontece no Brasil

    Cortes constitucionais são alvo frequente de movimentos populistas autoritários. No caso brasileiro, o desgaste do Supremo Tribunal Federal se agrava porque, além das ameaças feitas pelo governo Jair Bolsonaro, o próprio histórico de decisões do tribunal contribuiu, junto a fatores como a politização das Forças Armadas, para desgastar o sistema constitucional do país.

    Essa é a análise de Emilio Peluso Neder Meyer, professor associado de direito constitucional da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e autor do livro “Constitutional Erosion in Brazil” (Erosão Constitucional no Brasil, em inglês), publicado pela editora Hart, do Reino Unido.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.