Qual o saldo do trabalho remoto no Congresso, um ano depois

O ‘Nexo’ falou com o cientista político Fabiano Santos, organizador de uma obra sobre a experiência legislativa brasileira nos tempos de pandemia

    Em março de 2020, o Brasil registrava a primeira morte por covid-19 no país, que contava com pouco mais de 300 casos confirmados da doença, e a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarava a crise do novo coronavírus uma pandemia. Naquele mesmo mês, o Congresso Nacional estabeleceu o Sistema de Deliberação Remota, por meio do qual o Legislativo passou a funcionar de maneira não presencial.

    No dia 20, o Senado fez sua primeira sessão virtual, quando votou o decreto de calamidade pública que permitiu a flexibilização de regras fiscais para o combate à pandemia. Cinco dias depois foi a vez da Câmara.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.