‘A multiplicidade da obra de Lélia Gonzalez ecoa na sociedade’

Ao ‘Nexo’, Flavia Rios fala sobre a atualidade do trabalho de uma das intelectuais brasileiras mais expressivas do século 20, agora reunida na coletânea ‘Por um feminismo afro-latino-americano’

    Quando discursou na Constituinte, em 1987, Lélia Gonzalez bradou sem rodeios: “Sem o criouléu, sem os negros, não se construirá uma nação neste país”. O discurso é um dos textos inéditos que compõem o livro ‘Por um feminismo afro-latino-americano’, organizado pelas cientistas sociais Flavia Rios e Márcia Lima e lançado em outubro de 2020 pela editora Zahar.

    Com textos, discursos e entrevistas escritos e/ou concedidos entre 1975 e a primeira metade dos anos 1990, a coletânea apresenta o maior panorama já publicado no Brasil da obra da ativista.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.