As 3 horas que expuseram o desgoverno ambiental no Brasil

Ex-presidente do Ibama, Suely Vaz de Araújo diz que ministro do Meio Ambiente represa recursos de combate ao desmatamento e ameaçou interromper ações na área para demonstrar poder no governo

    Ao longo de três horas nesta sexta-feira (28), a mensagem do governo federal foi de que seriam suspensas todas as operações de combate ao desmatamento na Amazônia e às queimadas no Pantanal, assim como no resto do país.

    Às 16h54, o Ministério do Meio Ambiente divulgou uma nota alegando que bloqueios de repasses de R$ 60 milhões da Secretaria de Orçamento Federal ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais, o Ibama, e ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio, inviabilizavam as ações para mitigar os danos ambientais em curso na Amazônia e no Pantanal.

    Segundo o órgão, a decisão, referendada pela Secretaria de Governo e a Casa Civil da Presidência da República, somava-se à suposta previsão de corte de R$ 120 milhões na área de meio ambiente no Orçamento de 2021 a ser apresentado na segunda-feira (31).

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.