‘Toda nova forma de dominação traz novas formas de resistência’

Entregadores de app anunciam paralisação de atividades por um dia em meio à pandemia. O ‘Nexo’ conversou com a socióloga Ludmila Costhek Abilio sobre o fenômeno da uberização no Brasil e o perfil dos trabalhadores

    Entregadores de aplicativos como iFood, Rappi e Uber Eats promovem uma paralisação nacional de seus serviços nesta quarta-feira (1º), como parte de uma crescente mobilização por direitos. O movimento teve início no Brasil e ganhou a adesão de trabalhadores de outros países latino-americanos, como Argentina, México e Chile.

    Entre as reivindicações estão remuneração maior por serviço, licença remunerada em caso de acidentes e fim de retaliações promovidas pelas plataformas contra, segundo eles, entregadores que se negam a fazer determinadas corridas.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.