Qual o impacto da política de armas do governo Bolsonaro

Ao 'Nexo', Carolina Ricardo, diretora executiva do Instituto Sou da Paz, fala sobre a ampliação do acesso a armamentos e munições no Brasil e seus efeitos para a segurança pública e o combate ao crime

    Eleito com apoio de grupos entusiastas de armas, como caçadores, atiradores e colecionadores, e da indústria de armamentos e munições, o presidente Jair Bolsonaro tem se dedicado a ampliar o acesso dos brasileiros às armas de fogo desde que assumiu o governo em 2019.

    Passado quase um ano e meio de mandato, o presidente já tentou avançar em sua política armamentista com ao menos sete decretos, um projeto de lei e duas portarias. Quatro decretos acabaram revogados pelo próprio governo, diante da repercussão negativa e da possibilidade de o Congresso derrubar os textos.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.