‘Não dá para falar de democracia sem falar da questão racial’

Ao ‘Nexo’ o professor Silvio Almeida analisa a onda de protestos contra violência policial e racismo nos EUA, e comenta a relação dos atos americanos com manifestações brasileiras

    Meses após a chegada do novo coronavírus a países como Estados Unidos e Brasil, a crise deflagrada pela pandemia divide espaço com agitações de ordem política e social.

    Nos EUA, o assassinato de um homem negro, George Floyd, por um policial branco, Derek Chauvin, em 25 de maio, levou a protestos que ganharam escala nacional.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.