Por que o Brasil deve participar das missões da ONU, segundo esta autora

Doutora em relações internacionais, Eduarda Hamann defende ‘reengajamento’ brasileiro em operações de paz das Nações Unidas

 

A pesquisadora Eduarda Hamann defende o “reengajamento” do Brasil nas missões de paz da ONU (Organização das Nações Unidas). Para ela, o envio de tropas brasileiras em missões como a do Haiti, encerrada em 2017 depois de 13 anos de duração, traz ganhos políticos e institucionais que superam o valor financeiro investido.

Hamann é autora de um estudo chamado “É tempo de reengajar: O Brasil e as operações de manutenção de paz da ONU”, lançado em setembro pelo Instituto Igarapé, um centro de pesquisa sediado no Rio de Janeiro, que se dedica ao estudo de temas de segurança e defesa.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.