Ele representa o agronegócio. E é contra mudar regra ambiental

Para Luiz Cornacchioni, ‘não dá para negar a mudança climática’. Diretor-executivo de entidade do setor de produção diz ainda que alterações em Código Florestal e saída do Acordo de Paris seriam ‘retrocesso’

     

    “Não dá para rasgar compromisso como se rasga guardanapo”, afirmou ao Nexo o agrônomo Luiz Cornacchioni, diretor-executivo da Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), em referência a ideias de representantes da política nacional de modificar as regras do Código Florestal, ou de recuar em relação ao Acordo de Paris para o clima.

    Apresentando outro lado do agronegócio, Cornacchioni falou com o Nexo na sexta-feira (3), por telefone, e comentou a relação entre o setor e meio ambiente, o papel da agropecuária para o combate à mudança climática e desafios no Brasil em 2019, dissonante de produtores que, diz ele, insistem em não ver a conservação ambiental como aliada.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.