Qual o peso evangélico na política, segundo esta pesquisadora

Ana Carolina Evangelista fala ao 'Nexo' sobre os dados que mostram crescimento desse setor na vida nacional

 

Em maio de 2016, uma pastora evangélica chamada Damares Alves anunciou, do alto do púlpito da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, que era chegada a hora “de a igreja governar”.

Menos de três anos depois, a pastora assumiu o cargo de ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos no gabinete do presidente Jair Bolsonaro, eleito em 2018 com apoio de importantes líderes de igrejas evangélicas no Brasil.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.