As vítimas da mineração no Brasil ao longo da história

Para Rafael de Freitas e Souza, doutor em história social que estuda acidentes na mineração, casos de Brumadinho e Mariana são comparáveis à tragédia do século 19 marcada por negligência e imprudência

 

Em 1884, o desabamento de uma grande pedra no poço vertical das minas inglesas da Brazilian Company Limited em Itabira do Campo (atual município de Itabirito), Minas Gerais, derrubou parte das paredes e fechou as galerias subterrâneas onde trabalhavam mais de cem pessoas. Sem conseguir salvar os trabalhadores que haviam ficado presos, a companhia decidiu inundar o local “para findar o suplício” dos sobreviventes.

O caso é lembrado pelo professor do Instituto Federal de Educação do Sudeste de Minas Gerais Rafael de Freitas e Souza, em sua tese de doutorado em história social “Trabalho e cotidiano na mineração aurífera inglesa em Minas Gerais: a Mina da Passagem de Mariana (1863-1927)”, defendida em 2009, na USP.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.