Ir direto ao conteúdo
Profissão

Marcelo Issa: do que o Brasil precisa e o que farei por isso

Foto: Acervo pessoal

Marcelo Issa é cientista político, advogado e coordenador do Transparência Partidária. Mestre em ciência política pela PUC-SP e MBA em relações governamentais pela FGV. Bacharel em direito pelo Mackenzie, com extensão em políticas públicas pela Universidade de Salamanca, na Espanha. Trabalhou em organizações do terceiro setor dedicadas ao monitoramento do poder público e participou de projetos de consultoria em gestão estratégica para organismos públicos nacionais e latino-americanos. É professor no curso Advocacy e Políticas Públicas: teoria e prática da FGV.

Este texto é parte de um projeto de breves entrevistas com membros da sociedade civil, que durante a campanha eleitoral vão falar de suas expectativas para o próximo mandato presidencial e apontar suas próprias ações na tentativa de contribuir para o futuro do país.

Do que o Brasil precisa nos próximos quatro anos?

"Entre as inúmeras e difíceis mudanças que o Brasil precisará realizar nos próximos anos, sem dúvida deve-se incluir a reforma das regras de funcionamento do nosso sistema partidário. Para mudar nossa política, é preciso mudar os partidos. Os partidos brasileiros estão distantes da sociedade e extremamente desacreditados.

É necessário, portanto, criar mecanismos capazes de fazer com que os partidos, que são instituições fundamentais para a democracia, sejam mais transparentes, íntegros, abertos à renovação e equitativos na distribuição de seus recursos financeiros e de poder."

E o que você vai fazer para isso, para além do voto?

"O Transparência Partidária vem jogando luz sobre diversos aspectos dos partidos políticos. Seguiremos estudando a questão partidária no Brasil e continuaremos a analisar a contabilidade dos partidos e a atuar para que o processo de prestação de suas contas seja aprimorado e atualizado.

Vamos desenvolver novas edições do Ranking da Transparência Partidária para informar o eleitor e estimular os partidos a adotar práticas de transparência. Também pretendemos impulsionar e contribuir para concretizar uma reforma política que não se esqueça de alterar a legislação para que haja mais transparência, renovação, integridade e equidade nos partidos."

Com produção de Mariana Vick

 

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!