O efeito das candidaturas presidenciais na eleição do Congresso

Partidos apostam na visibilidade do postulante ao Planalto para eleger mais deputados, mas pesquisador da FGV pondera que faltam dados para afirmar se essa correlação de fato existe

O cenário eleitoral de 2018 está imprevisível na disputa presidencial. O alto número de pré-candidatos (são 19, considerando o levantamento de junho do Datafolha) mostra que partidos ainda resistem em fechar alianças enquanto buscam um nome viável para decidir em quem apostar suas fichas.

Em 2018, além de presidente da República, eleitores escolhem governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Na definição da melhor estratégia, partidos colocam em perspectiva se a eventual aliança contribuirá para a eleição de mais deputados federais.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.