Quais os efeitos da crise no mercado de trabalho (além do desemprego)

Taxa de desocupação esconde mudanças na qualidade dos postos de trabalho e no número de pessoas que foram forçadas pela crise a procurar um emprego

    O desemprego é uma das consequências mais graves da crise econômica que chegou ao Brasil no segundo trimestre de 2014. Naquele ano, a taxa de desocupação medida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi de, em média, 6,8%. Três anos depois, com a retração na economia brasileira, a taxa média chegou a 12,7%. No resultado divulgado na manhã desta quinta-feira (29), a desocupação entre dezembro e fevereiro ficou em 12,6%.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Exclusivo para assinantes

    Tenha acesso a todo o nosso conteúdo, incluindo expressos, gráficos, colunistas, especiais, além de newsletters exclusivas com curadoria da redação. Apoie o jornalismo independente brasileiro de qualidade.
    Assine o Nexo.