Por que a intervenção federal no RJ não vai funcionar, segundo este especialista

Para Jailson de Sousa, experiências similares anteriores não enfrentaram os problemas de segurança no Rio e agravaram ainda mais o quadro de violência

     

    A intervenção federal no Rio de Janeiro é mais um capítulo na crise da segurança pública do estado. Resultado de um decreto assinado pelo presidente Michel Temer na sexta-feira (16), ela tem duração prevista até 31 de dezembro de 2018. Pela primeira vez desde a Constituição de 1988, um estado brasileiro fica sob intervenção do governo federal e sob comando de um general do Exército.

    O objetivo declarado pelo governo é conter a violência no estado. Para o geógrafo Jailson de Souza e Silva, no entanto, a ação reproduz tentativas anteriores mal sucedidas, com altos custos aos cofres públicos e que vitimizam ainda mais profundamente as comunidades afetadas pela violência.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.