O Brasil passou a Rússia em população carcerária. Como chegamos aqui?

Para especialista, qualidade das investigações no país é baixa, o que contribui para o grande número de presos sem condenação

Anualmente, o Ministério da Justiça brasileiro disponibiliza a gestores de penitenciárias do país inteiro um formulário on-line sobre a situação das unidades que eles administram. O resultado é o diagnóstico mais completo sobre o perfil da população carcerária do Brasil e quais os problemas que ela enfrenta. Trata-se do Infopen (Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias).

Os dados divulgados no início de dezembro de 2017 mostram que o país passou a Rússia e atingiu, no ano de 2016, o terceiro lugar no mundo em número de pessoas presas.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.