Por que a extrema direita cresce no mundo, segundo este estudioso

Carlos Poggio, autor de livro sobre neoconservadorismo, fala ao ‘Nexo’ sobre o desafio que o radicalismo conservador impõe ao mundo hoje

    O Reino Unido, a França e a Alemanha são três exemplos recentes de países centrais na política europeia que viram a expressão eleitoral da extrema direita crescer nos últimos meses.

    Primeiro, a retórica contra a imigração e contra a integração comunitária europeia levou a maioria dos eleitores ingleses a decidir, em junho de 2016, a favor do Brexit - termo que, em inglês, une as palavras “British” (britânica) e “exit” (saída), para se referir à decisão de deixar a União Europeia.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.