Conceição Evaristo: ‘minha escrita é contaminada pela condição de mulher negra’

Em entrevista ao ‘Nexo’, escritora fala sobre memória, vivência, escrita e os avanços e lutas do movimento negro

 

A escritora Conceição Evaristo é protagonista de uma trajetória ímpar no contexto da história da literatura nacional. Nascida em 1946, em uma favela de Belo Horizonte, em Minas Gerais, cresceu cercada pela oralidade das histórias narradas pelos familiares e, assim que teve acesso aos livros em uma biblioteca pública da cidade, tornou-se leitora voraz.

Evaristo se mudou para o Rio de Janeiro ao concluir o curso normal, aos 25 anos. Lá, foi aprovada em um concurso público e começou a dar aulas. Ao mesmo tempo, cursava letras na  UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.