Como é o trabalho escravo hoje, segundo relato de uma vítima

O ‘Nexo’ conversou com Rafael Ferreira, que trabalhava em situação análoga à escravidão em Mato Grosso, foi libertado em 2008 e falou em campanha da Organização Internacional do Trabalho

     

    Mais de 50 mil pessoas foram libertadas entre 1996 e 2015 no Brasil. Foram 1.111 apenas em 2015, segundo os dados mais recentes do Ministério do Trabalho.

    As condições do trabalho análogo à escravidão hoje são resultado, sobretudo, de relações  irregulares em que empregados têm sua liberdade comprometida por conta de dívidas contraídas junto aos empregadores, que podem incluir alimentação, moradia, transporte e mesmo o aluguel dos equipamentos de trabalho 

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.