‘Se uma obra pode influenciar o suicídio, temos de questioná-la’, diz psiquiatra sobre série de TV

O ‘Nexo’ fez sete perguntas ao professor de psiquiatria Luís Fernando Tófoli sobre a série da Netflix ‘13 Reasons Why’

 

Hannah Baker é uma adolescente recém-chegada a uma pequena cidade americana. Novo colégio, novas pessoas. Ela sofre com o bullying, situações de abuso e a indiferença dos colegas. Baker comete suicídio e deixa um pacote de fitas gravadas com os motivos de sua morte. Cada um dos lados da fita - treze, no total - aponta uma pessoa de seu convívio como uma das razões.

É essa a trama da série “13 Reasons Why”. Baseada no livro homônimo de Jay Asher (publicado no Brasil pela Ática como “Os 13 Porquês”), a série da Netflix foi lançada no dia 31 de março. Desde então, tem sido ora elogiada, ora classificada como irresponsável.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.