‘Dois irmãos’ é sobre o colapso de uma família. Mas também de um projeto de país

Adaptação de romance do escritor Milton Hatoum, minissérie de TV é um diagnóstico de nossas estruturas sociais, segundo a pesquisadora Ilana Feldman

    Foto: Reprodução
    A desavença entre os dois filhos é a tragédia da vida de Zana, interpretada na primeira fase da minissérie por Juliana Paes
     

    A minissérie “Dois Irmãos” estreou na TV Globo na segunda semana de janeiro, depois da novela das 21h. Dirigida por Luiz Fernando Carvalho, com roteiro adaptado por Maria Camargo da obra homônima do escritor amazonense Milton Hatoum, a série levou para a TV um drama familiar com a duração de meio século, entre os anos 1920 e 70.

    Esse drama é vivido pelos imigrantes libaneses Zana e Halim, pais dos gêmeos Yakub e Omar, que são protagonistas de uma rixa irreconciliável. No livro lançado em 2000, a história é narrada pelo filho bastardo da empregada Domingas - e a visão do narrador é temperada de ressentimento.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.