‘Construir cadeia não resolve um sistema falido’, diz secretária de Direitos Humanos de Temer

Flávia Piovesan afirma que promessa do presidente tem utilidade no curto prazo, mas solução duradoura passa por rechaço ao ‘encarceramento em massa’

    A secretária de Direitos Humanos do governo Michel Temer, Flávia Piovesan, diz que o massacre de 56 pessoas no Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus, no dia 1º de janeiro, é a prova de que o sistema carcerário do país está falido.

    Para ela, a solução não é seguir construindo cada vez mais presídios, mas rever o que chama de “cultura de encarceramento em massa”. A expressão é recorrente entre os especialistas em direito que consideram haver no Brasil um recurso excessivo às penas de prisão como solução para um número cada vez maior de crimes.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.