Seu povo quase foi exterminado pelo Império Alemão. Agora, ele luta pela reparação histórica

Genocídio contra os Ovaherero e Nama na região onde fica a Namíbia, no início do século 20, começa a ser reconhecido pela Alemanha. Para militante, negociações de reparação não estão incluindo povos afetados

     

    Veraa Katuuo nasceu em 1954 na porção africana onde hoje é a Namíbia. Passou a infância e a juventude ouvindo seus antepassados contarem a história sobre como seu povo, chamado Ovaherero, quase foi dizimado pela colonização alemã no início do século 20.

    Apesar de bem documentado, esse massacre começou a ser reconhecido apenas recentemente pelo governo alemão. Katuo, que hoje mora nos EUA, é fundador da Associação do Genocídio Ovaherero, que busca chamar atenção para o evento.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.