Foto: José Cruz/Agência Brasil

Cenários para 2018: Precisamos de um novo rumo para o Brasil Agora!


O ‘Nexo’ convidou movimentos novos de diferentes orientações políticas para que projetassem cenários para 2018. Neste ensaio, o Agora! se apresenta e conta seus planos para o ano eleitoral

Neste ano decisivo que se inicia, gostaríamos de propor uma reflexão e um convite a você, batalhador brasileiro, que enfrenta todos os dias os desafios de nosso país e que, assim como nós, está indignado com a baixa qualidade da saúde, da educação e da segurança pública. Delegamos o rumo de nosso país a uma classe política que há muito tempo esqueceu o verdadeiro significado do serviço público.

Propomos que você reflita sobre nosso comportamento diante do cenário político nesses últimos anos. Já parou para pensar sobre o que temos feito para transformar nossa indignação em algo produtivo e transformador? Acreditamos que é preciso reconhecer que esta realidade é responsabilidade de todos nós, seja por nossos atos ou por nossa omissão. E que está na hora de voltarmos ao leme, para juntos definirmos o rumo de nosso país. Está na hora de participar da política e fazer parte da mudança que desejamos. 

Essa é a razão de existir do Agora! Somos um movimento da sociedade civil, plural e suprapartidário, hoje formado por mais de 90 pessoas que são referências em suas áreas de atuação, mas que compreenderam que era fundamental dedicar parte de seu tempo e conhecimento para resolver os problemas do país. Gente que percebeu que era urgente deixar os lados de lado para construir uma nova agenda para o Brasil e, principalmente, se colocar à disposição para implementá-la dentro e fora do governo.

Está na hora de voltarmos ao leme, para juntos definirmos o rumo de nosso país. Está na hora de participar da política e fazer parte da mudança que desejamos

Diante do atual cenário desolador na política brasileira, não podemos cometer o equívoco de dar ouvidos às forças radicais e polarizadoras que sempre ganham mais espaço nesses momentos com um discurso baseado no medo. Como a história já demonstrou, o extremismo prospera durante períodos de turbulência política e econômica. O Agora! também surgiu como resposta a essa ameaça. Queremos mais democracia e diálogo.

Para isso, acreditamos que não existe outro caminho a não ser o da participação de todos. Esse é o convite que gostaríamos de fazer. Você, nós, eles e elas. Todos conjugando na política informal ou formal o verbo “servir” no sentido correto – “ser útil”, “ajudar”, “zelar pelo bem-estar” – e no tempo que a situação exige, ou seja, Agora!

Esse desejo de reocupar o espaço político é a gênese do movimento. Em junho de 2016, nós três nos encontramos em um evento latino-americano em que estavam presentes algumas das mais importantes lideranças políticas, empresariais e cívicas do nosso continente, discutindo o futuro da educação, integração regional e os impactos da tecnologia em várias dimensões da sociedade. Chegamos lá graças às nossas trajetórias pessoais e profissionais. De origens distintas – uma da periferia urbana e os outros dois do interior do país –, com acesso à  educação, apoios diversos e muita obstinação, além de boa dose de sorte, avançamos em nossas profissões.

Nesse encontro internacional, percebemos que o Brasil mais uma vez não estava sendo representado à altura de nossos desafios e potencial. Estávamos completamente afastados, como país, das discussões da nossa própria região. Também constatamos como, em outros países latinoamericanos, a nossa geração – entre 30 e 45 anos – já estava de fato ocupando posições públicas e fazendo a renovação necessária de práticas e costumes.

Foi então que decidimos sair da zona de conforto para ocupar mais espaço na discussão política e na construção de um novo rumo para nosso país. Começamos a nos perguntar em torno de quem a gente iria se unir, quais políticos a gente poderia apoiar. Quase nenhum nome se sustentou nessa lista. Daí pensamos: se não sobra quase ninguém, sobra a gente. Então fizemos uma outra lista, com amigos e pares que são profissionais renomados em áreas estratégicas para o desenvolvimento do Brasil, com experiência e valores e objetivos comuns. E nos dispusemos a conversar com eles e a engaja-los. Foi esse o ponto de partida do Agora!

Hoje, nossos mais de 90 integrantes são fazedores, referências do terceiro setor, assessores técnicos com experiência de governo, acadêmicos, líderes comunitários, empresários, empreendedores, enfim, batalhadores. Partimos de princípios como o compromisso com o serviço público, o respeito ao diálogo, o foco no combate às desigualdades, a busca por soluções concretas para os problemas e o compromisso inegociável com a ética.

Nossa visão para o Brasil é a de um país mais simples, humano e sustentável. A partir dela, já estamos construindo nossa agenda de políticas públicas baseada em conhecimento de ponta e buscando evidências para o que funciona quando o foco é melhorar a vida das pessoas. Nos dividimos em 11 grupos de trabalho, que vêm formulando propostas nas áreas de educação, saúde, segurança pública, cidades humanas e várias outras. E isso também está sendo feito ouvindo os brasileiros de diversas maneiras, com pesquisas de opinião pública, por meio de eventos de escuta realizados em diversas cidades, incluindo Brasília, Curitiba, São Paulo e Santo André, e nas redes digitais. Em 2018, avançaremos muito mais na nossa missão de escutar os brasileiros de todos os cantos do país e de engaja-los nesse propósito.

Por fim, é preciso deixar claro que não somos um partido político. Mas compreendemos que além de formular uma nova visão e agenda para o país, precisamos também ajudar a implementá-la. Assim, todo membro do Agora! tem o compromisso de atuar no serviço público por pelo menos dois anos de sua vida, seja em posições técnicas ou políticas, incluindo cargos eletivos.

O que nos move é a certeza do quanto o país precisa que todos os cidadãos comuns participem da política, se engajem em suas comunidades e ajudem a construir um outro caminho. A política só se conserta pela própria política e não com o distanciamento dela. Precisamos ir além das reclamações nas redes sociais e buscar, de fato, entender os desafios atuais e nos mobilizar para resolvê-los. É hora de reconhecer que a reconstrução desse sistema é responsabilidade de todos nós. O Brasil só deixará de ser o país do futuro se começarmos a mudança Agora!

Ilona Szabó, Leandro Machado e Patricia Ellen são idealizadores e cofundadores do Agora!, grupo suprapartidário fundado em 2017

Os artigos publicados no nexo ensaio são de autoria de colaboradores eventuais do jornal e não representam as ideias ou opiniões do Nexo. O Nexo Ensaio é um espaço que tem como objetivo garantir a pluralidade do debate sobre temas relevantes para a agenda pública nacional e internacional. Para participar, entre em contato por meio de ensaio@nexojornal.com.br informando seu nome, telefone e email.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante? x

Entre aqui

Continue sua leitura

Inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: