Ir direto ao conteúdo

Áurea Carolina foi eleita deputada federal pelo PSOL de Minas Gerais em 2018. Antes disso, foi a vereadora mais votada de Belo Horizonte em 2016. Atua em movimentos sociais desde a adolescência e é formada em ciências sociais pela UFMG, onde concluiu também mestrado em ciência política. Além disso, fez especialização em gênero e igualdade pela Universidade Autônoma de Barcelona.

  • As eleições 2020 no meio da encruzilhada 

    A chave para conter a expansão do bolsonarismo na disputa eleitoral do ano que vem está na colaboração entre as lutas e no fortalecimento mútuo das forças progressistas

  • Aos censores, nossa desobediência

    O desmantelamento das políticas públicas por meio da censura por parte do governo Bolsonaro é uma tentativa esperta, embora não inteligente, de solapar a diversidade e impor uma versão única da história

  • Cuidar de nós para salvar a Amazônia 

    A mobilização pela floresta deve passar por um outro ideal democrático, que leva em conta a cooperação com as comunidades tradicionais e a experiência da coletividade

  • Sem tempo para Bolsonaro

    Não devemos perder energia com reclamação desprovida de ação. A crítica ao governo deve vir acompanhada de compromisso prático

  • O Brasil resumido nos quilombos de Alcântara

    O que fica evidente é que o Estado, representado agora pela administração de Bolsonaro, está disposto a perpetuar um histórico desastroso em nome de um projeto cujos alegados benefícios ainda não foram demonstrados

  • Não podemos esquecer Mariana e Brumadinho

    A aprovação de conjunto de leis propostas na Câmara representará um avanço histórico no Brasil, rumo a um modelo mais responsável e seguro de mineração, mas é preciso enfrentar o poder das mineradoras

  • O levante contra o governo da burrice

    A cada atitude truculenta, a cada malfeito, a cada agressão, a administração de Jair Bolsonaro desencadeia uma mobilização social cada vez mais potente

  • Djonga, o amor-próprio de uma geração

    Jovem rapper de Belo Horizonte coloca Minas no centro da cena do hip hop no Brasil, buscando romper com as barreiras impostas por uma sociedade escandalosamente desigual

  • Vidas valem mais do que minério

    Durante dois meses pudemos fazer uma escuta sensível de pessoas atingidas por barragens de mineração em diferentes territórios. Foi desolador

  • A cura política vem das mulheres

    A ficção patriarcal segrega esfera privada da pública: é um mecanismo tosco, mas muito eficaz, de exclusão de mulheres, pessoas com deficiência, população LGBTI e crianças, entre outros grupos

  • Para afastar a política da morte

    Diante de uma conjuntura nefasta, inúmeras iniciativas da sociedade civil se dedicam a construir uma outra cultura política, baseada na cooperação, na solidariedade e nos valores inegociáveis da democracia e da justiça social

  • Sem distração com as distrações moralistas

    Quando o presidente da República diz que vai libertar o país do politicamente correto, não está lançando uma isca tola para quem repudia essa declaração. Está, sim, demarcando a centralidade da pauta de costumes no seu governo