Ir direto ao conteúdo

Alicia Kowaltowski é médica formada pela Unicamp, com doutorado em ciências médicas. Atua como cientista na área de Metabolismo Energético. É professora titular do Departamento de Bioquímica, Instituto de Química da USP, membro da Academia Brasileira de Ciências e da Academia de Ciências do Estado de São Paulo. É autora de mais de 150 artigos científicos especializados, além do livro de divulgação Científica “O que é Metabolismo: como nossos corpos transformam o que comemos no que somos”. Escreve quinzenalmente às quintas-feiras.

  • 2019, ano da resiliência na ciência

    Por trabalhar na fronteira do conhecimento, tentando muitos caminhos diferentes e inexplorados, o cientista precisa ser, acima de tudo, resiliente

  • Um conto natalino científico

    As pesquisas brasileiras sobre o vírus Zika são um ótimo exemplo da dedicação e contribuição de cientistas para o progresso da sociedade

  • Um Nobel de medicina que não curou nenhuma doença

    Pesquisadores que descreveram funcionamento de uma proteína específica não miraram em tratamentos para câncer, acidente vascular cerebral ou eclâmpsia. Mas, indiretamente, ajudam muito a fazer os tratamentos para essas e outras enfermidades evoluírem

  • Somos todos metabolismo

    Apenas 100 gramas de uma molécula especial em nossos corpos garantem que a gente tenha energia e fique vivo. E a ciência do Brasil está na fronteira do conhecimento nessa área

  • Usando a ciência para negar a ciência

    Falta de rigor e método nas análises, circulação de informações falsas, além de cortes no financiamento da pesquisa, no Brasil e no mundo, podem significar um futuro trágico