Coluna

Acabou o dinheiro para o enfrentamento da crise?

    É verdade que governo está gastando mais do que arrecada na pandemia, mas isso não é novidade nem particularidade do Brasil

    O jornal O Globo noticiou no dia 23 de maio que o Ministério da Economia estaria preparando um pedido de empréstimo da ordem de 4 bilhões de dólares a um conjunto de instituições financeiras multilaterais, entre as quais o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e o Banco dos Brics. Quando se trata das medidas anunciadas pela equipe econômica do governo Bolsonaro, é fato que nunca se sabe o que realmente vem. Provocações, recuos e conflitos internos são demasiado frequentes. Mas a mera possibilidade de uma tomada de empréstimos em dólar pelo governo brasileiro para combater a pandemia serve para disseminar ainda mais um mito que já tem causado estragos há algum tempo no país: o de que o dinheiro acabou.

    Laura Carvalho é doutora em economia pela New School for Social Research, professora da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo e autora de “Valsa brasileira: Do boom ao caos econômico” (Todavia). Escreve quinzenalmente às sextas-feiras.

    Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Conteúdo exclusivo para assinantes

    Gosta do nosso jornalismo?

    Somos um jornal independente, por assinatura, e sem publicidade, financiado por vocês, nossos leitores. Jornalismo de qualidade no qual você pode confiar.

    • → O essencial para estar bem informado todos os dias
    • → Notícias de forma clara, equilibrada e organizada
    • → Newsletters exclusivas
    • → Acesso a nossos gráficos e especiais

    Esteja conectado com o melhor da informação.
    Torne-se um assinante. Junte-se ao Nexo!