Coluna

Negro favelado de sucesso: um corpo estranho

    O efeito colateral que o sistema produz: desde Carolina Maria de Jesus, nos anos 1950, até a perseguição ao DJ Rennan da Penha, no Rio, em 2019

    “Enquanto a esquerda branca acha que faz revolução e acha que sabe o que é ser preto favelado por ir pro Circo Voador cantar ‘Eu vou pro baile da gaiola’, eu não posso ir para casa almoçar porque no caminho posso tomar um tiro de um caveirão voador. Mais uma tarde de horror que a gente espera que dure o mínimo possível e derrame o mínimo de sangue (negro e favelado). Existem níveis de existência e reflexão que solidariedade nenhuma proporcionam, só a real vivência mesmo”.

    Giovana Xavier é professora da Faculdade de Educação da UFRJ. Formada em história, tem mestrado, doutorado e pós-doutorado, por UFRJ, UFF, Unicamp e New York University. É idealizadora do Grupo de Estudos e Pesquisas Intelectuais Negras. Em 2017, organizou o catálogo “Intelectuais Negras Visíveis”, que elenca 181 profissionais mulheres negras de diversas áreas em todo o Brasil.

    Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Exclusivo para assinantes

    Tenha acesso a todo o nosso conteúdo, incluindo expressos, gráficos, colunistas, especiais, além de newsletters exclusivas com curadoria da redação. Apoie o jornalismo independente brasileiro de qualidade.
    Assine o Nexo.