Coluna

Sem infantilizar os impostos

    Condenar um prefeito por querer atualizar a base de cálculo do IPTU é um contrassenso

    O prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) propôs a atualização da base de cálculo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de Porto Alegre para valores de mercado. A última revisão havia sido em 1991. Nessa época, nem o Real existia. Um dos seus secretários largou o cargo para fazer campanha contra o “aumento de impostos”. No final das contas, a Câmara Municipal votou contra a proposta do prefeito.

    Humberto Laudares é especialista em políticas públicas e desenvolvimento. É Ph.D em Economia pelo Graduate Institute, em Genebra (Suíça), e mestre pela Universidade Columbia (Estados Unidos). Fez Ciências Sociais na USP e Administração na FGV de São Paulo. Trabalhou com políticas públicas em governos, no parlamento e em organismos internacionais. Para acompanhar sua página no Facebook: www.facebook.com/laudares

    Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Exclusivo para assinantes

    Tenha acesso a todo o nosso conteúdo, incluindo expressos, gráficos, colunistas, especiais, além de newsletters exclusivas com curadoria da redação. Apoie o jornalismo independente brasileiro de qualidade.
    Assine o Nexo.