Coluna

No passo do caranguejo: a crise da Uerj é de todos nós

    A crise da Uerj não é apenas mais um problema dentre uma série maior e indiscriminada. Ela traz sérias implicações para o ensino superior brasileiro, para o desenvolvimento do país e reflete uma concepção falaciosa sobre o ensino e a educação

    Foi o bardo Tom  Jobim quem nos brindou com uma das melhores definições do nosso país: “o Brasil não é para principiantes”. Claro que há muito de efeito na frase do maestro; afinal, nenhuma nação estaria “à prova de principiantes”, no sentido de se deixar ler e compreender facilmente.

    Cada país guarda as suas linguagens, os seus segredos, as suas armadilhas, e por isso dominar um idioma significa muito mais do que apenas conhecer suas regras gramaticais. Por outro lado, sentir-se estrangeiro é, de alguma forma, entender como fora de seu país há situações, expressões, piadas, eventos do dia a dia que somos incapazes de traduzir ou incluir em nosso vocabulário social.

    Mas há momentos em que o Brasil cabe totalmente na definição de Tom Jobim. Aliás, temos vivido a boutade em toda a sua plenitude. Por exemplo, faz tempo que não há razão para seguir seriados de TV por aqui; afinal, o jornal diário oferece notícias muito mais aventurosas do que aquelas que procuramos nos filmes de suspense. Se fosse apenas tentar listar a quantidade de sustos que o cotidiano tem nos pregado, por certo me perderia, tal a oferta, variedade e qualidade do cardápio.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Lilia Schwarcz é professora da USP e global scholar em Princeton. É autora, entre outros, de “O espetáculo das raças”, “As barbas do imperador”, “Brasil: uma biografia”, "Lima Barreto, triste visionário”, “Dicionário da escravidão e liberdade”, com Flavio Gomes, e “Sobre o autoritarismo brasileiro”. Foi curadora de uma série de exposições dentre as quais: “Um olhar sobre o Brasil”, “Histórias Mestiças”, “Histórias da sexualidade” e “Histórias afro-atlânticas". Atualmente é curadora adjunta do Masp para histórias.

    Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.