Coluna

É hora de abrir as ‘caixas-pretas’

    O Brasil não sairá do atoleiro em que está metido sem reformar a política. Um bom jeito de começar a mudança é tornar os partidos políticos mais transparentes

    É uma honra ser anexado à lista de colunistas do Nexo.

    Escreverei quinzenalmente sobre muitas coisas relacionadas a economia, política e desenvolvimento. Geralmente, tudo junto e misturado.

    Estreio hoje com um tema ingrato, mas fundamental: reforma dos partidos políticos. O Brasil não sairá do atoleiro em que está metido sem reformar a política, que é um relevante fator de risco para a economia. Um bom jeito de começar a mudança é tornando as instituições políticas, como os partidos, mais transparentes - quem sabe, mais inclusivas e funcionais também - para que as pessoas saibam como seus recursos são investidos na atividade política e, talvez, se sintam mais confortáveis em participar dela.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Humberto Laudares é especialista em políticas públicas e desenvolvimento. É Ph.D em Economia pelo Graduate Institute, em Genebra (Suíça), e mestre pela Universidade Columbia (Estados Unidos). Fez Ciências Sociais na USP e Administração na FGV de São Paulo. Trabalhou com políticas públicas em governos, no parlamento e em organismos internacionais. Para acompanhar sua página no Facebook: www.facebook.com/laudares

    Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.