Coluna

Ficamos velhos antes de nos tornarmos ricos

    Em co-autoria com Daniel Lima

    A demografia sempre foi um ramo da ciência pouco considerado no debate sobre política pública no Brasil. Não deveria.

    A profunda, e rápida, transição demográfica que atravessamos resulta em difíceis desafios para as próximas décadas. Em 1960, cada casal tinha, em média, 6,3 filhos. Em 2012, esse número tinha caído para 1,7. Para manter o total de pessoas em idade ativa inalterado seriam necessários cerca de 2,1 filhos por casal.

    Assumindo que a idade média de aposentadoria continue próxima aos 55 anos, a proporção de aposentados na população atingiria 36% em 2050.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Marcos Lisboa é presidente do Insper, Ph.D. em economia pela Universidade da Pensilvânia. Atuou como professor assistente no Departamento de Economia da Universidade de Stanford e da EPGE/FGV. Foi secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda e presidente do Instituto de Resseguros do Brasil. Diretor executivo do Itaú-Unibanco, entre 2006 e 2009, e vice-presidente até 2013.

    Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.