Ritual vazio ou o rei está nu

Penso que nossos poderosos andam nus e os alfaiates fugiram para longe do Brasil. Passado o encantamento do nosso ritual, cada vez mais vazio, o país voltou à rotina, e Temer a seu trono oco, ao qual continua muito apegado: custe o que custar

Ver todas as colunas

Ver todas as colunas

Zezé Motta: uma mulher que abriu caminhos

Com algumas dezenas de filmes em sua trajetória profissional, Zezé interpretou personagens que ajudam a contar algumas de nossas histórias e, com elas, nos conduzem a perceber um Brasil que desejamos ter no futuro já apontado no passado

As plantas das nossas avós

Neste período de grandes polarizações políticas, retrocessos em diversos setores, aumento de todos os índices possíveis de desigualdades sociais, temos a responsabilidade de manter nossas plantas vivas

Uma carta para Lázaro e para nós, os cobradores

Será que um ator ou atriz que não seja negro convive com o mesmo nível de cobrança que você? Será que nós, pessoas negras, que cobramos tanto dos nossos representantes, cobramos na mesma altura as pessoas brancas que mantêm seus privilégios?

Ver todas as colunas

Rumo à inflexão

Em um país sem lideranças e sem partidos confiáveis, como iremos sair melhores dessa? Em um país que a cada 26 anos, em média, muda de regime político desde a Proclamação da República, o que esperar das próximas décadas?

Direto pro futuro, já!

É justamente por prezar tanto as regras institucionais construídas após a redemocratização que não defendi a emenda constitucional da reeleição em 1997 e não consigo defender a mudança das regras atuais somente para termos ‘Diretas Já’

Que renovação política?

A geração de políticos que estão rompendo com o status quo, espalhada por diversos países, parece que não tem uma agenda propriamente convergente, mas diria que tem quatro grandes semelhanças

Ver todas as colunas

Reinaldo Moraes

(colunista até março de 2017)

Ver todas as colunas

Marcos Lisboa

(colunista até agosto de 2016)

Ver todas as colunas