Dissertação: As ações de extensão na construção de uma universidade sertaneja

Autor

Wagner Pires da Silva, Universidade Federal do Ceará

Lattes

Orientador

Leonardo Damasceno de Sá

Área e sub-área

Políticas públicas, Desenvolvimento Sustentável

Defendida em

Universidade Federal do Ceará, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação - 17/10/2016

Link para o original

 

Esta pesquisa analisou as percepções e representações geradas pela implantação de um campus universitário na cidade de Icó, no sertão do Ceará.

Entre as conclusões, o autor destaca como os servidores e alunos do campus do semiárido nordestino se mostraram abertos aos ideais da população do entorno. O pesquisador também nota que esse intercâmbio de valores ajudou no reconhecimento e desenvolvimento sustentável da região como um todo. 

A qual pergunta a pesquisa responde?

De acordo com servidores e alunos do Instituto de Estudos do Semiárido da Universidade Federal do Cariri, sediado em Icó, a unidade acadêmica deseja ser reconhecida como uma universidade sertaneja. Para tanto, é preciso que suas atividades estejam em sintonia com as atividades dos sertanejos da comunidade externa à universidade. Tal contato é realizado pela extensão. Assim, é interessante observar as transformações que a comunidade acadêmica sofre enquanto realiza as ações de extensão. Vem daí a pergunta que a pesquisa se propõe a responder: como as atividades de extensão universitária desenvolvidas no Instituto de Estudos do Semiárido contribuem para a promoção de mudanças e transformações para seus participantes?

Por que isso é relevante?

Porque é necessário entender os pontos positivos e negativos da expansão do ensino superior e como o estabelecimento de novas instituições e campi impactam os territórios que os estão recebendo. O surgimento de instituições que dialogam com uma comunidade distante dos grandes centros é uma novidade no Brasil. É um novo público alvo para essas instituições que não só transformam com seus conhecimentos a realidade das localidades onde se situam, como elas mesmas são transformadas. A importância de se entender esse processo auxiliará na implementação de políticas públicas voltadas para o ensino superior bem como para a sua avaliação. No momento em que se questionam os investimento nas novas universidades e campi é importante entender a contribuição dos mesmos para as regiões onde foram implantados e para a própria forma de criar, administrar e fazer uma universidade.

Resumo da pesquisa

A extensão universitária tem papel fundamental na formação plena dos estudantes em face da capacidade que ela tem de retroalimentar o ensino e a pesquisa. Por meio dela a universidade pode levar o conhecimento que está sendo produzido em suas pesquisas para a sociedade. Tais ações quando aplicadas por uma universidade que está inserida no semiárido, trazem em si a possibilidade de transformar a realidade desse lugar e contribuir para o seu desenvolvimento, não só na formação de pesquisadores, professores e técnicos para atuar na região, como também influenciando diretamente nos aspectos socioculturais do território no qual se insere. O Instituto de Estudos do Semiárido (IESA), uma unidade acadêmica da Universidade Federal do Cariri , localizado no campus de Icó, desenvolve atividades que buscam pesquisar e conhecer melhor as dinâmicas do semiárido e privilegiando a atuação social na busca de um desenvolvimento sustentável. O objetivo deste estudo é compreender as percepções e as representações geradas pela implantação de um campus universitário em uma cidade do semiárido nordestino por meio dos Projetos de Extensão desenvolvidos no âmbito da universidade.

Quais foram as conclusões?

O trabalho mostra que o campus instalado em Icó tem buscado se inserir na comunidade como parte dela, reconhecendo-se como uma universidade sertaneja, aberta aos valores da população do entorno e realizando a construção de saberes compartilhados entre a universidade e as camadas populares.

Quem deveria conhecer seus resultados?

Diversas instituições e pesquisadores que atuam no território semiárido e com políticas públicas voltadas tanto para a educação, quanto para a convivência com o semiárido.

Wagner Pires da Silva é administrador da Universidade Federal do Cariri e mestre em Políticas Públicas e Gestão do Ensino Superior pela Universidade do Ceará.

Referências

QUEIRÓZ, Manuel Abílio de. Semiárido brasileiro: uma análise das potencialidades e das competências para seu desenvolvimento.Parcerias Estratégicas. Brasília/DF, v.14, n.29, p.129-144, jul./dez. 2009.

Ver todas

Os artigos publicados no ‘Nexo Acadêmico’ são de autoria de colaboradores eventuais do jornal e não representam as ideias ou opiniões do nexo.