Tese - Empresas e Gestão da Água: uma abordagem a partir do uso do indicador Pegada Hídrica

Autora

Renata de Souza Leão

Lattes

Orientador

Pedro Roberto Jacobi

Área e sub-área

Ciência Ambiental, gestão da água; responsabilidade social corporativa; sociologia ambiental

Defendida em

Universidade de São Paulo, Instituto de Energia e Ambiente 19/09/2014

Link para o original

 

Cada vez mais empresas no mundo todo estão utilizando a pegada hídrica como um indicador do consumo direto e indireto da água na produção de bens ou serviços. Esta pesquisa busca compreender o crescente interesse corporativo em questões relacionadas ao uso sustentável desse recurso natural, as iniciativas e ferramentas que pretendem contribuir para melhorar sua gestão. Segundo a autora do estudo, para que as empresas enfrentem de fato os desafios presentes é preciso ir além de apenas visibilizar o problema por meio da pegada hídrica.

A qual pergunta a pesquisa responde?

Nos últimos anos, nota-se um aumento do interesse das empresas por questões relacionadas ao uso sustentável da água. Observa-se também um número crescente de iniciativas e de ferramentas que têm como objetivo contribuir com o setor corporativo para uma melhor gestão da água e diminuição de riscos. Desenvolvida a partir do conceito de água virtual, a Pegada Hídrica é um indicador do consumo direto e indireto da água usada pelas atividades humanas, na produção de bens ou serviços. Dentre as diversas opções disponíveis, a Pegada Hídrica merece destaque uma vez que tem sido utilizada por várias empresas ao redor do mundo. Este trabalho teve como objetivo compreender quais os motivos que têm levado as empresas a optarem pela utilização da Pegada Hídrica.

Por que isso é relevante?

A identificação e análise dos fatores que motivam as empresas a se interessarem pelo uso sustentável da água pode contribuir para ampliar o debate e provocar reflexões sobre: 1) a complexa relação entre o setor privado e os recursos naturais (no caso deste trabalho, o enfoque é a água); 2) o papel das empresas no uso responsável da água e na manutenção dos ecossistemas aquáticos; e 3) possibilidades de colaboração entre diferentes setores em prol de melhorar os processos de governança da água.

Resumo da pesquisa

Nos últimos anos, as questões relacionadas à problemática ambiental multiplicaram sua presença na agenda do setor empresarial. Mais recentemente, observa-se o aumento do interesse das empresas pela água, recurso natural indispensável para a manutenção do equilíbrio dos ecossistemas e das atividades socioeconômicas humanas. Diante da ampliação da pressão sobre seu uso, resultado do crescimento populacional e incremento dos padrões atuais de produção e consumo, diferentes ferramentas têm sido desenvolvidas para contribuir para que o uso da água se torne mais racional e sustentável. Uma delas é a PH (Pegada Hídrica), um indicador de consumo direto e indireto da água utilizada durante a produção de bens ou serviços. A PH está relacionada com a pressão causada aos recursos hídricos pelas atividades humanas e classifica a água usada nesses processos e atividades de acordo com sua origem e impacto. Sua utilização pelo setor empresarial tem sido cada vez mais frequente. Tendo como base esse contexto, este trabalho busca compreender quais são os principais motivos que têm levado as empresas a utilizarem a PH como indicador de uso sustentável da água.

Quais foram as conclusões?

Os resultados deste estudo indicam que a principal contribuição da utilização da Pegada Hídrica no ambiente corporativo está no potencial para aprimorar o diagnóstico do consumo de água nas diferentes fases dos processos de produção de alimentos e bens de consumo. Dessa forma, fica mais clara a conexão entre todos os elos do ciclo de vida de um produto, do produtor ao consumidor. Isso pode servir para estimular e fortalecer o diálogo entre os envolvidos em cada etapa, além de ampliar a capacidade de oferecer respostas coletivas que minimizem o impacto causado à água. A Pegada Hídrica ajuda a tornar “visíveis” volumes de água consumidos na produção de alimentos e outros bens que nós, cidadãos, sequer imaginamos quando vamos ao supermercado, à feira ou ao shopping, ou quando nos locomovemos pela cidade. Entretanto, como apontado na tese, para que as empresas enfrentem os desafios em relação ao uso sustentável da água é preciso ir além da contabilização da Pegada Hídrica. É preciso formular respostas consistentes que internalizem e estejam centradas nos limites ecossistêmicos do planeta.

Quem deveria conhecer seus resultados?

Dado que a água é um bem público e comum, quanto mais alcance reflexões como esta tiverem, melhor para a sociedade. Não somente CEOs de grandes empresas, ou ainda os responsáveis pela gestão ambiental, devem estar atentos à discussão em torno da água, mas também as médias e pequenas empresas. Organizações não governamentais e cidadãos podem contribuir com esse debate porque podem pressionar por mais informações, mais transparência e engajamento por parte das empresas. O setor público também tem importante papel para estimular o uso responsável da água, assim como educadores têm possibilidades de trabalhar esse tema e colaborar com a conscientização sobre padrões de consumo e sua relação com a água.

Renata de Souza Leão é bióloga, mestra em Ciências (USP) e doutora em Ciência Ambiental (USP). Trabalha como consultora e pesquisadora em sustentabilidade, riscos relacionados à água e governança da água.

 

Referências

  • HOEKSTRA, A.Y., CHAPAGAIN, A.K., ALDAYA, M.M., MEKONNEN, M.M. 2011. The water footprint assessment manual: Setting the global standard, Earthscan, London, UK.
  • MORRISON, J.; SCHULTE, P; SCHENCK, R. 2010. Corporate Water Accounting: An Analysis of Methods and Tools for Measuring Water Use and its Impacts. Oakland, UNEP, United Nations Global Compact and Pacific Institute.

Ver todas

Os artigos publicados no ‘Nexo Acadêmico’ são de autoria de colaboradores eventuais do jornal e não representam as ideias ou opiniões do nexo.